Crédito imobiliário a juros mais baixos: o que mudou?

O mercado imobiliário está crescendo, e a compra de um imóvel é uma das decisões mais relevantes da vida das pessoas.

A S.A Imóveis acompanha diariamente esse crescimento e, além de criar oportunidades de viabilizar sonhos, estabelece uma relação de longo prazo com os clientes, contribuindo para o crescimento do setor.

Se você está pensando em comprar um novo imóvel e precisa recorrer a um financiamento, a S.A Imóveis te ajuda neste post a conhecer as mudanças recentes no mercado e o que elas significam.

Assista o vídeo e confira algumas dicas!

Mudanças recentes

Em agosto, a Caixa Econômica lançou um financiamento imobiliário que atrela os juros ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial do país.

Trata-se de uma alternativa às tradicionais linhas de crédito habitacional, que têm os juros atrelados à Taxa Referencial (TR), atualmente zerada.

A nova modalidade possibilita uma economia inicial por oferecer taxas mais baixas: de 2,95% ao ano a 4,95% ao ano, mais a variação da inflação.

O contrato atrelado à inflação será facultativo. O cliente pode fazer as simulações e comparar os juros e condições para o financiamento. Se preferir, as linhas com a taxa referencial de juros serão mantidas.

Em julho, o Santander já havia reduzido suas taxas de 8,99% para 7,99% ao ano, mais a taxa referencial (TR), para financiamento de imóveis em até 35 anos. A renda mínima necessária é de R$ 2,5 mil (composta, sem necessidade de comprovação de parentesco ou casamento) e o comprometimento com o financiamento deverá ficar entre 30% e 35% (de acordo com a análise de crédito).

Resumindo

  • A Caixa lançou um financiamento imobiliário corrigido pela inflação
  • Os juros vão de 2,95% a 4,95% ao ano, mais a inflação oficial (IPCA)
  • Esse novo modelo só vale para novos contratos
  • Pode ser usado para financiar até 80% do valor de imóveis novos e usados
  • Prazo de financiamento é de até 360 meses (30 anos)

Vantagens

Um benefício do crédito atrelado ao IPCA é a prestação inicial mais baixa. O sistema SAC atual prevê que o valor das parcelas diminui com o tempo, mas a primeira dela é bastante elevada. Num financiamento de 30 anos, a primeira prestação é 11 vezes maior que a última, na média.

O uso do IPCA como indexador dos contratos imobiliários pode estimular a concorrência entre grandes bancos e outras empresas de crédito. Para o mercado ter fôlego e continuar crescendo, é importante mudar o índice de correção dos contratos, garantindo que haja mais oferta de crédito.

Pesquise e simule as condições antes de escolher a melhor opção para a compra do seu imóvel. E claro, não deixe de procurar a S.A Imóveis. Estamos à disposição para ajudá-lo (a) a tirar todas as dúvidas e sempre fazer o melhor negócio.

Fontes:

UOL Economia / O Globo Economia / Exame